Qual a importância do planeamento numa campanha de marketing

Qual a importância do planeamento numa campanha de marketing
21 . Novembro . 2019
  • marketing digital

Viajante olha para um mapa de uma cidade

Uma campanha de marketing visa sempre os seguintes três resultados: uma mensagem bem direcionada que atinge o público-alvo previamente definido, uma mensagem que é entendida por esse mesmo público e uma mensagem que estimula os destinatários, levando-os a realizar uma ou mais ações.

Portanto, torna-se evidente que uma campanha não pode ser concebida sem pesquisa prévia, para que se possa desenvolver uma perceção da posição da empresa/marca no mercado e qual o público-alvo(s) a atingir, para que seja possível delinear toda a estratégia de marketing.

Depois desta pesquisa, é importante criar um plano de marketing que defina e organize a ideia da campanha, bem como as ações a serem desenvolvidas, todas elas classificadas com a devida prioridade. Por fim, inicia-se a execução da campanha propriamente dita.

Planeamento passo-a-passo

Definir objetivos

Primeiro, é fundamental definir o que se pretende conseguir: quais os principais objetivos da campanha de marketing.

Deve ser definido o que se pretende conquistar: novos clientes, maior fidelização dos clientes já existentes, fazer com que estes dediquem mais tempo e dinheiro à marca. As hipóteses são inúmeras, mas apontar as suas, torna-se imprescindível.

É importante que estes objetivos sejam realizáveis, ser criativo é ser produtivo, mas deve ter-se em conta que nem todas as ideias podem ser efetivamente concretizadas. Deste modo, deve adequar os seus objetivos aos recursos de que dispõe.

Definir o público-alvo

Não importa qual é o seu negócio, em que sector atua ou de que forma, em todos eles é necessário que se defina o público a que se destina a campanha de marketing.

Nesse sentido, torna-se essencial que conheça os possíveis consumidores/utilizadores do seu produto, que os defina como seu alvo e que realize uma pesquisa em torno das necessidades dos mesmos, definindo ainda quais são as principais potencialidades daquilo que está a promover e como é que isso vai despertar o interesse dos consumidores.

Avaliar a competição

Rever os principais competidores no mercado ajuda a perspetivar a condição em que a empresa/marca/produto se distingue, a realçar o fator que faz com que seja único, a idealizar o valor da sua proposta.

Perceber quais os principais rivais do mercado em que se insere, quantos são e o que têm para oferecer, que necessidades satisfazem e você não, ou então quais as necessidades que o seu produto satisfaz ou poderá satisfazer, de forma a que se diferencie da concorrência – tudo isto é importante para o sucesso de uma boa campanha de marketing. É sempre válido saber o que os seus concorrentes estão a fazer no momento, para onde estão a evoluir e porquê.

Este é o melhor momento para realizar uma análise SWOT, que inclui 4 aspetos essenciais:

  1. Strengths (Forças): o que a sua empresa faz bem; o que acrescenta em valor, comparando com os seus concorrentes.
  2. Weaknesses (Fraquezas): pontos fracos da empresa/marca/produto; o que deverá melhorar.
  3. Opportunities (Oportunidades): condições exteriores à empresa que beneficiam a sua atuação no mercado.
  4. Threats (Ameaças): condições exteriores à empresa que prejudicam a sua atuação no mercado.

Rever o orçamento

É igualmente importante um conhecimento do poder de compra dos consumidores, do público-alvo e, se possível, uma quantificação do consumo/uso do produto a promover. O ideal será também realizar uma estimativa do retorno que se irá conseguir alcançar com a campanha de marketing.

Para garantir uma campanha de marketing de sucesso, é importante que o que a empresa irá ter de lucro seja superior ao que foi gasto na própria campanha. Assim como também é essencial que a campanha seja realista, que o orçamento da empresa possa abarcar os custos da campanha de marketing que se está a planear.

Meios de comunicação usados

As hipóteses são imensas:  TV, jornais, revistas, panfletos, publicidade online, etc.,  poderá optar por deixar que a propagação da mensagem seja realizada boca-a-boca, entre tantos outros meios de comunicação.

Agora, o importante é decidir quais as que se adequam à sua mensagem, à imagem da sua empresa e ao produto que se quer promover. A escolha pode parecer complicada, mas com todos os passos de planeamento enumerados acima, a escolha torna-se mais fácil, pois já se sabe quais os objetivos da campanha, quem é que se pretende atingir com ela e quais as suas preferências, assim como se conhece o mundo competitivo do mercado em que se insere a campanha, o que já está a ser feito pelos concorrentes, para além de também já existir uma planificação do que se poderá gastar com a campanha e qual o retorno financeiro pretendido.

Desenvolver uma mensagem eficaz

A mensagem deve ser adequada ao público-alvo selecionado, cada tipo de público tem gostos diferentes, preferências distintas, hábitos que os individualizam enquanto grupo e necessidades a ser supridas que estão de acordo com as suas vivências, por isso, é importante que se dê enfase a todos estes conteúdos quando se escolhe a mensagem a comunicar.

A grande ideia, o ponto principal à volta do qual gira toda a campanha de marketing deve ser definida com base nos seus principais pontos fortes, aquele ponto em que o produto se destaca mais e pelo qual quer ser reconhecido.

Depois de decidida a ideia, é necessário redigir e criar a campanha palpável, é necessário comunicar de forma clara e apelativa: escolher as palavras e as imagens certas, pois, geralmente a mente precisa apenas de 3 segundos para mostrar interesse na campanha e prestar atenção ou simplesmente desligar e voltar a atenção para outra coisa qualquer.

Juntas, as palavras e as imagens devem levar a uma ação por parte do consumidor: é aqui que reside a eficácia – ou não – de uma campanha de marketing.

Avaliar os resultados da campanha

É necessário que se realize uma medição da eficácia da campanha, sendo que os quantificadores vão depender dos meios de comunicação utilizados. Por exemplo: se foram distribuídos cupões de descontos, pode contar-se quantos foram realmente usados; avaliar se as receitas aumentaram ou diminuíram desde o início da campanha; realizar questionários, entre outros.

O importante é escolher um método que avalie de forma correta, e o mais próximo da realidade possível, os resultados da campanha. É igualmente crucial que se monitorize a campanha logo desde o início, de forma a corrigir ou melhorar aspetos ao longo da mesma, permitindo assim que se atinja o objetivo previamente definido.

Após uma revisão de todos estes pontos, pode facilmente concluir-se que a necessidade do planeamento da campanha está implícito à execução da mesma – são como duas faces da mesma moeda. De fato, não será possível realizar uma campanha de sucesso sem a pesquisa, conhecimento, organização e planificação de todos os aspetos do meio interno da empresa, da imagem que esta pretende transportar para fora, assim como do meio exterior (clientes, concorrentes, aspetos financeiros do mercado, etc.).

Por Daniela Correia

Twitter

Facebook