Criar Contacts

Como otimizar o processo de checkout
21 . Novembro . 2016
  • checkout
  • Compras online
  • design
  • e-commerce
  • mobile

Fazer compras online pode ser uma experiência maravilhosa. Não é necessário sairmos do conforto da nossa casa, temos todos os artigos organizados num sítio só, podemos rapidamente comparar os produtos em diferentes lojas e ainda nos entregam no local que acharmos mais conveniente. Mas também pode ser uma experiência bastante frustrante se o processo não estiver bem desenhado.

Para evitar frustrações e tornar as compras online rápidas, simples e agradáveis, a BloomIdea oferece os quatro grandes passos para otimizar o checkout da sua plataforma e-commerce.

1. Preparar o website para plataformas móveis

Um website mobile – isto é, adaptado para plataformas móveis como smartphones – não é apenas uma versão mais pequena do website. A experiência para o utilizador tem de ser completamente diferente!

As compras feitas online são cada vez mais feitas num telemóvel. Isto implica pensar seriamente em otimizar o site e-commerce para mobile, o que poderá fazer das seguintes formas:

Desenhar para o toque e não para o rato

O texto e as imagens devem ser maiores, com botões apropriados para o tamanho do dedo. O tamanho médio de um polegar é 25 mm, o que corresponde a 72 pixéis, enquanto que o tamanho médio do indicador é entre 16 mm (45 pixéis) a 20 mm (57 pixéis).

Tenha em conta os campos numéricos

Ao preencher campos como número do cartão de crédito ou número de telefone, é possível aparecer apenas o teclado numérico. Desta forma, impedimos que o utilizador preencha o campo incorretamente.

Comprimir as imagens

Visto que muitos utilizadores visitam os sites utilizando a Internet do seu plano de rede móvel, é necessário comprimir ao máximo as imagens utilizadas num site. Isto acaba por poupar nos dados móveis e traz a grande vantagem adicional de tornar o site muito mais rápido a nível de navegação.

2. Ser visualmente apelativo

O design é um dos principais aspetos a ter em conta. A primeira impressão do utilizador tem muito impacto na sua decisão de continuar no site ou procurar outro site mais apelativo. Para garantir que o seu site faz a melhor primeira impressão possível, é importante ter em conta as seguintes normas:

  • Mantenha o site simples e moderno;
  • Adicione cor nas opções que realmente devem ter destaque;
  • Acrescente pequenas animações na dose certa: vão chamar a atenção do cliente no momento crucial;
  • Tenha uma hierarquia visual, organize muito bem a informação para que a leitura seja fluída;
  • Crie ícones que possam substituir ou enfatizar algumas ações;
  • Simplifique as páginas e reduza ao máximo o trabalho do utilizador;
  • Remova tudo que sejam ações secundárias, como o menu de navegação, links que o levem para fora da página, barras de pesquisa, etc. A última coisa que se quer é distrair o utilizador quando está a tentar fazer o processo de checkout;

Por último, mas não menos importante: muitas vezes, tentamos colocar-nos no papel do utilizador para conseguirmos perceber as suas dificuldades e a sua maneira de interagir com um site. No entanto, nem sempre acertamos, pelo que é essencial pedir feedback, especialmente a pessoas de fora, para testarem o trabalho feito.

3. Transmitir segurança e confiança ao utilizador

Algumas razões pelas quais muitos utilizadores não terminam compras online é por terem medo de disponibilizar dados pessoais, por acharem que podem existir vírus no site, por não saberem quantos passos têm de preencher para concluir a compra ou ainda pelo site estar a ser muito lento a concluir alguma ação.

Para prevenir ou melhorar estas situações, é necessário:

  • Explicar porque é que precisamos daqueles dados pessoais;
  • Ter uma barra de progresso e certos indicadores visuais que guiem o utilizador, tipicamente chamados breadcrumbs, para mostrar ao utilizador em que momento do checkout está;
  • Providenciar suporte em tempo real, em chat ou através de um contacto telefónico, que permite logo entrar em contacto com o apoio ao cliente;
  • Ser explícito na comunicação;
  • Mostrar que o site é seguro com certificados de segurança como o McAfee Secure, Norton Secured e MasterCard SecureCode, entre outros.

4. Criar mais rapidez e fluidez durante o processo

Outras situações que fazem os utilizadores abandonarem o checkout é o tempo que as páginas demoram a carregar, os formulários que têm de preencher, a quantidade de cliques necessários e a informação que têm de repetir. São imensas situações que facilmente podem ser melhoradas para converterem mais compras com sucesso!

Como é que o podemos fazer? Tendo em conta os seguintes pontos:

  • Muitos sites ainda forçam clientes a criarem contas durante o checkout –  isto é um dos maiores erros! O que é mais importante, clientes a criarem contas ou a terminarem o checkout? É necessário haver opções mais rápidas como o login com o Facebook e o guest checkout, que no final da compra até se pode perguntar se deseja criar uma conta;
  • Um teste muito importante para se fazer é calcular o número de cliques necessários para terminar a compra e tentar reduzi-los ao máximo;
  • Ter campos preenchidos automaticamente com base nas informações que damos a outros sites;
  • Quando o utilizador está a introduzir o nome da rua, é possível sugerir uma lista de moradas com essa rua e o resto dos dados da morada;
  • No método de pagamento, uma opção obrigatória é o PayPal, mas para Portugal também deve considerar o pagamento por referências Multibanco, visto que é um método bastante usado, simples e familiar para os portugueses;
  • Ter a opção para os dados de envio serem os mesmos dos de faturação;
  • Manter sempre visível o sumário da compra, que deve conter os produtos com imagens e os seus preços, a informação dos portes de envio e o valor total da compra.

Depois de feito todo esse trabalho, tenha em conta que não acaba por aqui! Deve sempre medir o impacto das alterações através do aumento das vendas, taxa de conversão e ferramentas como heatmaps para perceber de que forma as alterações afetaram a interação com o processo de checkout. Poderá até criar versões diferentes do checkout e fazer um teste A/B para ter dados comparativos. E lembre-se: nunca pare de otimizar e de inovar!

Por Ana

Twitter

Facebook