Criar Contacts

Brand Storytelling: era uma vez uma era em que as marcas aprenderam a contar histórias incríveis
23 . Agosto . 2016
  • Brand Storytelling
  • Histórias
  • marcas
  • Storytelling

Há milhares de anos que contamos histórias – já na pré-história as deixávamos gravadas nas paredes das cavernas. No entanto, não precisamos de recuar tanto para compreender o poderoso efeito que uma história tem sobre nós. Em pequenos, quantas vezes suplicámos aos nossos pais para nos contarem aquela história – a nossa favorita – e que até já sabíamos de cor?

E quando as marcas decidem contar uma história incrível aos seus clientes, o que acontece?

O que é Storytelling?

Storytelling não é apenas uma técnica, é uma arte – a arte de contar boas histórias. Sabemos que é Storytelling quando a mensagem é transmitida de uma forma tão incrível e memorável que o ouvinte fica com ela bem presente na memória.
Storytelling faz com que o ouvinte se identifique de tal maneira com os valores transmitidos que, para além de nunca esquecer a história, vai querer fazer parte dela de alguma forma.

E Brand Storytelling?

Brand Storytelling é pegar na arte de contar boas histórias e aplicá-la ao universo das marcas. Até porque cada marca não tem apenas uma, mas várias histórias para contar. A origem da marca, as conquistas, o caminho que escolheu percorrer, os valores que defende… tudo isto pode resultar em histórias fantásticas que vão surpreender e encantar o consumidor, conquistando assim a sua confiança. 

Porque é que as marcas devem contar uma história?

Uma comunicação de “pessoa para pessoa” é o coração e a alma de uma marca e é por isso que é tão importante que as empresas aprendam a contar histórias. Quando uma marca conta uma boa história não está apenas a comunicar, mas está, sim, a envolver os seus consumidores na sua essência, a torná-los na personagem principal, a fazer com que eles partilhem os seus valores. Isto resulta numa conexão poderosa entre os dois que se transforma em lealdade e confiança – e estes são dois sentimentos que não se podem comprar, mas que são verdadeiramente essenciais para o sustento e crescimento de uma marca a longo prazo.

E não nos podemos esquecer: desde sempre que contar boas histórias é uma poderosa técnica para construir relacionamentos fortes.

Como é que uma marca deve contar a sua história?

Brand Storytelling não é sobre marcas. É sobre pessoas e sobre o valor que elas adquirem quando se envolvem com um produto ou um serviço. As marcas com as histórias mais poderosas são aquelas que o consumidor defende, as que tem orgulho em comprar e que ainda recomenda aos amigos. 

Não existem fórmulas mágicas, no entanto, para contar uma boa história, há vários fatores que uma marca nunca pode esquecer:

  • Com quem é que está a falar? Há que compreender como o cliente vê o mundo.
  • Simplificar a história para a manter memorável.
  • Cumprir sempre as suas promessas.
  • Garantir que o cliente é o herói.
  • Consistência - nenhuma ação deve ser isolada.
  • Garantir que os funcionários acreditam e abraçam a história da marca. É este “compromisso” que os deve motivar para trabalhar.
  • Humanizar - o que realmente interessa são as pessoas.
  • Encontrar um território próprio e contar uma história que nunca ninguém contou.
  • Encorajar os clientes a partilhar a história.

3 marcas que sabem contar a sua história:

1. TOMS

O modelo de negócio da TOMS é baseado numa premissa muito simples: por cada par de sapatos vendido, a marca dá outro a uma criança pobre. E foi com esta história altruísta que a marca conquistou o mundo e ajudou milhões de crianças em diferentes continentes.

A TOMS é um excelente case study no que diz respeito a Brand Storytelling. Eles usam as suas plataformas digitais para contar a sua história e para mostrar como é que o seu modelo One to One tem um verdadeiro impacto na vida das pessoas que ajudam. Com isto, fazem com que os seus clientes se sintam parte integrante desta conquista. Afinal, não estão apenas a comprar sapatos - eles estão a tomar uma atitude para melhorar a vida de crianças desfavorecidas e a contribuir para um mundo melhor.

A marca surgiu em 2006 e para além de vender online, já se encontra em mais de 500 lojas pelo mundo. Com este crescimento aumentaram o seu leque de produtos, deixando de comercializar exclusivamente sapatos. Em 2014 abriram uma rede de cafetarias pelos Estados Unidos, aplicando mais uma vez o modelo One to One: por cada saco de café comprado, oferecem uma semana de água a alguém em necessidade. Sem dúvida, uma marca com história e que a sabe contar!

2. Josefinas

A Josefinas é uma marca de calçado feminino que tem vindo a encantar com a história que conta ao mundo. É uma marca que nasceu do sonho de uma mulher, e que com a ajuda de outras, se concretizou. A Josefinas acredita que tudo aquilo que faz deve ter um significado, que as suas clientes são as melhores do mundo e que se elas acreditam, elas conseguem realizar.

A história começa no próprio nome “Josefinas”, escolhido em homenagem à avó da fundadora da marca – Maria Josefina, pois era ela que levava a neta às aulas de ballet. Na Josefinas cada coleção conta uma história e cada par de sapatos leva quem os calça numa nova viagem. A marca defende o savoir faire e é com orgulho que leva o que é feito à mão em Portugal aos pés do mundo.

Uma cliente Josefinas não compra apenas um par de sapatos, compra a realização de um sonho e o embarque numa nova aventura. E foi o facto de conseguirem transformar o processo de compra numa experiência incrível que levou a marca ao sucesso internacional.

3. Airbnb

O Airbnb conseguiu transformar uma noite em casa de um desconhecido numa experiência desejada e incrível. Como? Através da conexão verdadeira com a comunidade (anfitriões e viajantes) e de uma estratégia de comunicação com uma abordagem muito humana.

No mercado desde 2008, o Airbnb é uma das principais plataformas de alojamento do mundo e talvez a única que cria um sentimento de pertença tão forte. Na verdade, o Airbnb representa um mundo onde podemos viajar sozinhos, mas sem nunca nos sentirmos solitários. Um mundo em que pertencemos a qualquer lugar.

A marca conseguiu crescer ao criar estadias memoráveis, possibilitando aos hóspedes conhecerem um novo local através de quem melhor o conhece - o anfitrião. Sem dúvida, conseguiram a conexão e a comunicação perfeita entre quem adora viajar e quem adora receber.

“As pessoas não compram bens ou serviços. Elas compram relações, histórias e magia.” - Seth Godin

Por Rita Amaral

Twitter

Facebook